25.11.08

Da serie ` Tem coisas que soh Londres faz por voce`

Voce ja viveu de casaco? Pois eh, aqui se vive assim. Seus casacos ficam pendurados na porta. Quando voce vai ali do lado comprar leite, mete o casacao por cima do pijama e ng nem imagina sua descompostura.

Quando voce vai sair de casa pra trabalhar coloca entre a roupa e o casaco mais uma blusa, de la por exemplo. Ai voce pega sua chave, seu ipod, seu Oyster (carteirinha do metro), seu celular, sua bolsa, a sacola que contem seu sapato alto(nao da pra caminhar na rua de salto) e sempre sua umbrella. Nunca, nunca, nunca ouse esquecer sua umbrella.

Enfim, voce ta la, embrulhada na sua armadura contra o frio que contem ainda: cachecol, luvas e gorro ateh que voce chega no Tube. Antes de mais nada um dos carinhas que distribui os tabloides gratuitos enfia um na sua cara, ai voce prende aquilo entre o queixo e o ombro e continua seu caminho. Sorte que a tinta do jornal daqui eh especial e nao suja a pele. Senao todo mundo ia viver com o pescoco encardido de preto.

Entao voce rebusca seu oyster em algum bolso e passa na catraca. O metro eh um forno, hora do efeito cebola. As pessoas literalmente se descascam correndo e se atropelando entre as escadas e corredores do underground.

Minhas maos escorregam por conta das luvas, em um braco carrego a bolsa mega pesada e no outro a sacola dos sapatos. O jornal encaixado no vao pescoco-ombro, e voce espera que eu consiga tirar meus casacos como?

Desenvolver a habilidade de um polvo, nessa situacao eh uma tecnica interessante.

Chego na plataforma suando. Estaciono, coloco os pertences no chao, entre as pernas. Arranco uma luva, arranco o gorro, arranco o cachecol. Jogo tudo na sacola do sapato. Antes de poder tirar o casaco tenho que tirar dos bolsos o ipod - nessa hora o fone escapa do meu ouvido - o celular e o oyster card. Tudo correndo, porque dai o metro ja chegou eu cato as coisas do jeito que da e entro no vagao procurando um lugar pra sentar. Ufa que quase sempre eu consigo.

Porque dae comeca minha sessao check list: eu confiro se tudo que tava nos bolsos do casaco ta agora nos bolsos da calca. O celular eu sempre tenho certeza que perdi ateh que eu acho. Leio a primeira noticia sobre como a Vitoria Beckham prefere o cabelo do David e eh hora de fazer baldiacao.

Pego minhas tralhas, subo escada, desco escada, atravesso 3 corredores, pronto. Espero o outro metro. Mal entro nele e ja comeco a recolocar minhas coisas. O casaco, a parafernalia nos bolsos, o gorro, as luvas.

Cheguei. Na beirada da catraca pra sair meu oyster sempre encana em sumir. Quase morro pisoteada mas ele soh sumiu de verdade uma vez. Saio da estacao e eh como se eu tivesse aberto a porta do freezer. Meu nariz fica imediatamente vermelho e minha boca racha na mesma hora. Preciso do batonzinho.

Onde ta mesmo o batonzinho? Ah sim, na minha bolsa gigante onde eu nunca acho nada, vou andando meio capenga, procurando o tal baton, desviando das pessoas, olhando pro lado errado na hora de atravessar e tentando achar o celular pra descobrir toda a vez que estou pelo menos 7 minutos atrasados.

No meio da correria Keane, ali no meu ipod, canta no meu ouvido "everybody is changing and I don't feel the same..." I definitly do!

Sorrio sozinha e sigo by myself minha caminhada desastrada, individual e comunitaria rumo a mais um dia de aventuras na Terra da Rainha quando de repente, comeca a chover. Abro minha bolsa da Marry-Poppins a procura do Guarda-Chuva e ja fico planejando com que mao vou segura-lo. Ainda nao sou um polvo, mas um dia eu chego la.

Pra quem nao gosta de vida normal, isso aqui eh poesia!

A-do-ro!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sat Nam ;)

Um comentário:

Carol V. disse...

Ah... perdi!!!!!!
Tá assim já????
Que fase....