4.2.09

Nevou


Esperei pela primeira neve para fazer o meu pedido. Quando ela veio perfeita tudo o que lembrei foi agradecer porque ela caía. Nevou de dia. De noite. Nevou e deixou tudo branquinho, pacífico e surreal. Nevou gelado. Nevou novinho e nevou desconhecido. Nevou sem fim. Nevou. Nevou. Nevou. Nevou durante uma doce tarde, depois de ver onde é que uma simples maçã transformou Newton e a gravidade do mundo, das coisas. Nevou de manhã de levinho e parou pra gente passear pelo canal onde Darwin deveria ficar pensando sobre a evolução das espécies. Nevou devagarinho, fazendo carinho. Nevou forte, impedindo a visão. Nevou fofo e escorregadio. Nevou amizade, nova e antiga, nevou alegria, nevou do céu durante mais de um dia. Nevou vida, nevou novidade. Nevou floquinho, nevou nevasca. Nevou com vento, nevou fininho. Nevou no quintal, na rua, nas árvores. Nevou em pânico, nevou com calma. Nevou lindo e nevou com prejuízo. Nevou na minha vida. Nevou na minha alma. Foi surreal e fez tanto sentido. O sentido das coisas que ninguém controla, que vem pra muitos e que une tantos. O sentido de perder uma segunda de trabalho e passar uma segunda no parque, fazendo boneco de neve e esquecendo da crise. Nevou pra causar um break, pra esfriar a cabeça, pra deixar quase tudo pra amanhã. Nevou pra parar um pouco, desacelerar um pouco, observar e absorver um pouco. Nevou como há muito aqui não se via e desviou tanta coisa do rumo, do trilho, do caminho. 

Nevou e do chão não passou, como Newton já sabia. Nevou e a gente se adaptou, como Darwin descobriu um dia. Nevou muito, influenciou um montão e a gente do poder se lembrou que os macro-fatores incontroláveis da natureza, podem surpreender até quem já previa.

Nevou muito. Nevou lindo. Nevou como poesia. E eu que esqueci de pedir, vou pra sempre lembrar de agradecer este dia!

Sat Nam ;)


Um comentário:

Daddy disse...

Nem Newton e muito menos Darwin poderiam imaginar que um dia iriam rimar com neve e poesia.Tente escrever sempre assim, com calma,criatividade e o olho aberto prá enxergar o que só os verdadeiros poetas conseguem ver através do óbvio.Plenitude para todos nós.Bjos. (Daddy)